Dissertações defendidas em 2016

No primeiro semestre de 2016, duas dissertações foram defendidas por integrantes do Margem – Grupo de Pesquisa em Democracia e Justiça, no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Ciência Política-DCP-UFMG.

O trabalho “O uso público das emoções: o papel das emoções no contexto deliberativo”, de Wesley Matheus de Oliveira,  observou o atravessamento das emoções em espaços de deliberação, a partir do estudo de assembleias realizadas dentro das Ocupações Rosa Leão, Vitória e Esperança – na região da Mata do Isidoro, em Belo Horizonte.

Já Filipe Mendes Motta,  autor de “Conflito e Deliberação na Serra da Gandarela: pela superação de uma dicotomia”, investigou debates ambientais lançando luz às tensões entre consenso e conflito na teoria deliberacionista. Ambas as dissertações foram orientadas por Ricardo Fabrino Mendonça.

Anúncios

Novas publicações dos integrantes do Margem

Acaba de ser lançado pela EDUFBA o livro Deliberação Online no Brasil: entre iniciativas de democracia digital e redes sociais de conversação. Organizado por Rafael Cardoso Sampaio, Samuel Barros e Ricardo Fabrino Mendonça, coordenador do Margem, a coletânea reúne recentes trabalhos nacionais dedicados ao entendimento do intercâmbio discursivo em arenas online, a partir da teoria deliberacionista de democracia. O capítulo “Debate político na internet: uma análise do votenaweb” é fruto de um dos projetos de pesquisa realizados no Margem.

O livro pode ser baixado gratuitamente no link: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/19267

Fabrino também publicou na Policy Studies/UK o texto “Deliberation and protest: strange bedfellows? Revealing the deliberative potential of 2013 protests in Turkey and Brazil”, dentro da edição especial sobre democracia deliberativa. O artigo é assinado também por Selen Ercan, do Institute for Governance and Policy Analysis (IGPA), da University of Canberra (UC)/Austrália, com quem o  Margem estabelece cooperação internacional dentro do projeto “Prostestos e engajamento político”.

A professora Eleonora Cunha assina um texto na nova edição da Teoria & Sociedade (22.2), Revista dos Departamentos de Antropologia e Arqueologia, Ciência Política e Sociologia da UFMG. “Process-tracing e a produção de inferência causal” foi escrito com o mestrando Fábio Gomes, pesquisador do Centro de Estudos Legislativos (CEL/DCP-UFMG).