Migração é tema de evento na Fafich

De 5 a 9 de março, o Centro Acadêmico de Ciências Sociais (Cacs) promove uma série de atividades, cujo tema principal é a migração. Feira de artesanato, oficina de dança, rodas de conversa e feira gastronômica são algumas das diferentes maneiras de abordar o tema pelos espaços da Fafich, durante esta semana.

Alexei Herrera, doutorando no Programa de Pós-graduação em Comunicação Social e nascido em Cuba, comenta o filme de Ernesto Daranas “Numa escola de Havana” (2014), ganhador do prêmio de Melhor Filme do Festival de Cinema de Havana (2014) e do Festival de Filme de Bogotá. A sessão comentada será na terça, 6 de março, das 14h às 17h30, na sala- auditório 1012, localizada no 1º andar da Fafich.

Mais informações: https://goo.gl/P4zoHW

Anúncios

Defesas de doutorado

Na semana passada, duas integrantes do Margem defenderam suas teses de doutorado, sob a orientação do professor Ricardo Fabrino Mendonça, no Programa de Pós-graduação em Ciência Política (DCP/UFMG).

No dia 27 de fevereiro, a tese “Tribuna ao vivo: discussão, representação e os avessos suscitados pela midiatização do parlamento” foi defendida por Rachel Barreto.

Márcia Cruz apresentou seu trabalho intitulado “Política das ruas e das redes: autoexposição e anonimato nas multidões de Junho de 2013”, no dia 28 de fevereiro. A professora Ângela Marques, do Programa de Pós-graduação em Comunicação Social, foi sua coorientadora.

Aprovação de Tamires Coêlho em concurso da UFMT

A doutoranda em Comunicação Tamires Coêlho foi aprovada no concurso de professor adjunto da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), emIMG-20160503-WA0003 Cuiabá, para atuar no curso de Jornalismo. Sua posse foi no dia 1 de março. Ela é orientanda da professora Ângela Marques, no Programa de Pós-graduação em Comunicação Social da Universidade Federal de Minas Gerais, ambas pesquisadoras do Margem.

Feminismos e Política

De 26 a 28 de fevereiro, ocorre o I Encontro Nacional da Nova Rede de Pesquisas em Feminismos e Política, na Universidade de Brasília. O evento marca a fundação da Rede,  articulação encabeçada por pesquisadoras recém-doutoras, em começo de carreira, que se dedicam à interlocução gênero, feminismos e política. Seu objetivo é dar visibilidade a temáticas, abordagens teóricas e empíricas emergentes no campo da Ciência Política, como uma estratégia de interlocução entre pesquisadoras dispersas geográfica e institucionalmente.

Três integrantes do Margem, participam da Rede e apresentam artigos durante o evento:

Cristiano Rodrigues – Feminismo negro e interseccionalidade: práxis política e a consolidação de um pensamento sociopolítico para além das margens

Rayza Sarmento – Feminismos, mídia e internet

Viviane Gonçalves Freitas – Interseccionalidade na imprensa feminista brasileira

Afetos na pesquisa acadêmica

De 21 a 24 de novembro, o professor francês Jean-Luc Moriceau ministra, em português, curso sobre “Os afetos na pesquisa acadêmica e na comunicação organizacional”. O evento é uma realização do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social (PPGCOM) da UFMG, organizado pelos professores Ângela Salgueiro Marques (Comunicação e Instituições), Carlos Camargos Mendonça (Núcleo de Estudos em Estéticas do Performático e Experiência Comunicacional) e Sônia Caldas Pessoa (Afetos: Grupo de Pesquisa em Comunicação, Acessibilidade e Vulnerabilidades). Também conta com o apoio da Diretoria de Relações Internacionais (DRI) e da Embaixada da França no Brasil. Os quatro encontros serão na Fafich (sala da Congregação e sala 1012), das 14h às 17h.

A entrada é gratuita e serão emitidos certificados para aqueles que frequentarem 75% da programação. As discussões podem ser acompanhadas também de modo independente. O evento é aberto a alunos da graduação e da pós-graduação e interessados no tema.

O coordenador do PPGCOM/UFMG, Carlos Camargos Mendonça, explica que o objetivo dos encontros é promover reflexões sobre os afetos em suas diversões dimensões, da investigação à escrita, uma temática que permeia pesquisas realizadas por pós-graduandos das três linhas de pesquisa do programa: Pragmáticas da Imagem, Processos Comunicativos e Práticas Sociais, e Textualidades Midiáticas.

Mais informações: colposcom-soc@fafich.ufmg.br ou (31) 3409-5072

Programação completa:

  1. Afetos e modos de pensar a comunicação organizacional
    Data: terça, 21/11
    Local: Sala da Congregação (Fafich)
    Horário: das 14h às 17h
  2. Afetos, pesquisa e escrita
    Data: quarta, 22/11
    Local: Sala 1012 (Fafich)
    Horário: das 14h às 17h
  3. Performatividade e Emancipação
    Data: quinta, 23/11
    Local: Sala 1012 (Fafich)
    Horário: das 14h às 17h
  4. Diferença e vulnerabilidades: hospitalidade e acolhimento
    Data: sexta, 24/11
    Local: Sala 1012 (Fafich)
    Horário: das 14h às 17h

 

 

Alunos do PPGCOM-UFMG realizam colóquio

De 21 a 25 de agosto, ocorre o I Colóquio Discente do PPGCOM-UFMG: Diálogos e Convergências. Um dos objetivos do encontro é compartilhar e dialogar diferentes saberes e questionamentos dos alunos que integram as três linhas do programa: Processos Comunicativos e Práticas Sociais, Textualidades Midiáticas, e Pragmáticas da Imagem.

A professora Ângela Marques, pesquisadora do Margem, e o professor Luís Mauro Martino (Faculdade Cásper Líbero) proferem a conferência de abertura, “Afetividade do conhecimento na epistemologia: a subjetividade das escolhas na pesquisa em Comunicação”, no dia 21, às 13h30, no auditório Prof. Bicalho (1º andar, Fafich). Já na quinta-feira, dia 24, às 18h15, o professor Ricardo Fabrino Mendonça, também pesquisador do Margem, participa da mesa redonda “Deliberação em sociedades divididas: desafios e perspectivas”.

O evento é gratuito, com inscrições feitas no local. Também podem participar interessados que não estão vinculados ao PPGCOM-UFMG. Haverá emissão de certificados.

Mais informações: https://coloquiodiscenteppgcom.wordpress.com/

 

Integrantes do Margem participam de eventos acadêmicos

Pesquisadoras/es do Margem aprovaram trabalhos em  vários eventos acadêmicos, realizados a partir do mês de julho de 2017. Confira:eventos_academicos-300x199

***ALACIP 2017

* Profª Eleonora Cunha:
– “Federalismo e Política de Assistência Social na Argentina e no Brasil”, com Edite da Penha Cunha  e Ismael Deyber.
– Potencial do uso de Process Tracing na análise dos fenômenos políticos, com Carmem Emanuelle Leitão.

* Viviane Gonçalves Freitas:
– “Cuidado, gênero e democracia: como a produção acadêmica latino-americana aborda essa relação”, com Fernanda Ferreira Mota (UnB).
– “A agenda legislativa das senadoras brasileiras: avanços e retrocessos”, em coautoria com Noëlle da Silva (IPEA), Jaqueline da Silva Borges (IPEA) e Paulo Magalhães Araújo (UFES)

*Rayza Sarmento:
– “Estudos feministas de mídia e política: uma visão geral”.

***ANPOCS 2017

* Profª Eleonora Cunha, no GT Políticas Públicas.
– “Jogando luzes sobre os determinantes burocráticos e de gestão da política de assistência social nos municípios brasileiros”, com Natália D. G. Sátyro.

*Rayza Sarmento, no GT Mídias, política e eleições.
– “O feminismo no jornalismo”.

*Prof. Cristiano Rodrigues, nGT Relações raciais: desigualdades, identidades e políticas públicas

“Estudos sobre raça, racismo e etnicidade na Ciência Política brasileira: uma análise do campo a partir de seu estado da arte”, com Johanna Monagreda e Nathália Porto.

 

***ALAS 2017

*Letícia Domingues, no GT: Acciones Colectivas y Movimientos Sociales.
– “Movimentos sociais, ação direta, diálogo com o Estado e com a sociedade: um estudo de caso do movimento Tarifa Zero BH”, em coautoria com André H. de Brito Veloso.

***FAZENDO GÊNERO 2017

*Viviane Gonçalves Freitas, no Simpósio Temático 039: Políticas feministas y de los movimientos de mujeres en América Latina: Legados, presente y futuros imaginados.
– “As mulheres e a imprensa feminista brasileira das décadas de 1970 a 2010”

*Rayza Sarmento, no Simpósio Temático 049: Gênero e Política: participação e representação.
“Quem tem medo de “mulher votadeira”? Política e a primeira onda do feminismo na imprensa brasileira.”

***ALICE 2017

*Viviane Gonçalves Freitas, na Mesa 11: As práticas e comunicação: o conservantista modelo midiático sul-americano.
– “Imprensa feminista brasileira: democracia, cidadania e direitos das mulheres”